segunda-feira, junho 22, 2009

DEIXEM EU NÃO TER UMA BABÁ?

Há uns dias atrás, uma babá(?) foi presa aqui no Rio tentando afogar uma criança de 2 anos na hora do banho. Essa é um (entre outros motivos) que não tenho (e nem pretendo ter) babá. Cada vez que acontece uma coisa dessas fico com o coração na mão, pensando que podia ser com a minha Bibi.
.
A maioria das pessoas ficam surpresas ao saberem que eu fiz a opção de não ter babá. Me olham como se fosse o maior absurdo. Já eu penso bem diferente. Na boa, não confio mesmo. Para ser sincera tenho verdadeiro horror. Estou cansada de ver babá passeando pela Lojas Americanas (por exemplo) para comprar coisas para ela própria. Ou então passeando pelo calçadão conversando com outra babá sem nem olhar para a cara da criança. E sem falar naquela que se acham a mãe da criança. Meu marido trabalha em banco, e ele sempre me conta que as babá, na hora do suposto passeio com o bebê, levam as crianças para o banco para resolverem seus problema. Quando vejo isso, a unica coisa que eu penso é: com a minha filha não. Minha mãe sempre trabalhou fora, e eu tinha que ficar com babá, e eu posso garantir que eu não tenho as melhores lembranças do mundo em relação a isso. Muito pelo ao contrário, uma pior do que a outra.
.
Eu gosto de ficar com a minha filha em tempo integral. Não existe coisa melhor no mundo! É fácil? Claro que não! É cansativo? Óbvio! Tem dias em que eu fico exausta? Claro que sim! Deixo de fazer um monte de coisa que eu quero para ficar com ela? Positivo. Mas todos esses problemas são mínimos se comparados aos momentos felizes que passo com a Bibi. E qualque problema acaba quando ela me dé um sorrisão. Basta isso para eu ganhar o meu dia.
.
É claro que tive que criar uma rede de apoio para não ter babá. Sempre tive diarista uma vez na semana, agora são três. Tenho um marido que ajuda muuuuuuuuuuito. O Renato quando tá em caso, assume a Beatriz. E tenho aquele tradicional apoio do meu pai e da minha sogra. Sem isso não seria possível.
.
Quando não puder mais (provavelmente ano que vem) ficar com a minha filha em tempo integral, pretendo colocá-la em uma creche (com as devidas referências, claro). Lá si, acredito, é um lugar adequado para uma criança. Na creche, ela vai conhecer outras crianças, ter amigos, aprender a dividir, e principalmente, ser corretamente estimulada para aprender coisas novas. Sinceramente, o que a uma babá vai ensinar de útil para minha filha? Coisa nenhuma! Quando tava grávida sempre era abordada por algumas babás, dispensava todas. Nunca nem pensei nisso. O que mais me impressiona são as mães que tem folguista para o fim de semana. Como assi? Uma mãe não pode passar um final de semana com seu filho? Não entendo isso. É claro que eu sei que tem mãe que não tem com quem deixar os filhos (como a minha por exemplo), aí é outra história. Mas tem umas mãe que não fazem coisa nenhuma da vida e tem quinhentas babás. Isso não dá para entender. Isso sem falar as que carregam as babás para as férias da família. Seja nos EUA, Europa, japão, ou em um final de semana em Angra. Fala sério! Faça me o favor!
.
Muitas vezes me pergunto se eu não sou radical demais. Qaundo estou quase me convencendo que sim. Sai uma notícia como a da babá que tentou afogar a criança na banheira. Aí fico aliviada, e vejo que tomei a decisão mais correta do mundo (pelo menos para mim).

19 comentários:

Vanessa disse...

Dri, eu também passo por isso, mas nem ligo! É uma convicção que eu tenho e, graças à Deus, meu marido concorda comigo. Tenho 3 filhos e não tenho babá, nunca tive, nem nunca vou ter. Cuido eu mesma dos meus filhos. Eu dou banho, dou comida, faço tarefa, eu desço para brincar com eles e se precisar jogo até futebol! Canso de ver as babás, no meu prédio, conversando, falando ao celular... e a criança? Elas nem sabem onde está... e não se importam... eu também não confio, pra você ter uma idéia, quando eles eram bebês eu é que fazia a papinha, não deixava a empregada fazer.Tenho muito orgulho de mim, sei que a minha presença é muito mais importante para eles...
Então, querida, não se importe com os outros, a Beatriz vai agradecer e muito o fato de não ter babá!
Ah, mas não pense que sou uma frustrada, que passa o dia inteiro correndo atrás dos filhos. Eles têm as atividades deles e eu também tenho vida, trabalho, saio, passeio... faço tudo, de preferência junto com eles!
E você deve se perguntar: em quem confiar??? Não existe pessoa melhor do que a vovó! As crianças adoram e elas são ótimas! Confio plenamente nas vovós dos meus filhos, sei que cuidariam como eu!

Um beijo!

Adriana Mello disse...

Vanessa,

Eu assino embaixo. Sou da teoria que a a pessoa que a minha filha mais precisa nesse momento sou eu. Eu que passeio com ela, que a ponho para dormir, eu que estou fazendo as papinhas... tudo!

Minha irmã tem uma amiga que descobriu que a babá dava Dramim para os filhos dormirem. Já pensou?
Beijos

Luciana disse...

Adriana, tô chocada com essa história do Dramim. Tb já vi cada cena. Uma vez o Thadeu e eu estávamos caminhando na Lagoa e tinha uma menininha que devia ter uns 3 anos rolando no chão de chorar ali no parque dos patins e a babá ouvindo seu mp3 sem dar a menor bola. Naquele momento decidimos que qdo tivermos nossos filhos não teremos babá. Nós dois trabalhamos, mas graças a Deus nossos horários não são tão rígidos e ainda podemos fazer o home office. Vamos nos desdobrar, montar nossos horários em função dos filhos, mas eles estarão sepre em primeiro lugar. Se não fosse para ser assim não teríamos filhos, simples assim.

Os primeiros anos são mto importantes para o desenvolvimento da criança. Quem melhor que os pais para acompanhar esses momentos? São anos valiosos que passam mto rápido.

Canso de ver mães no shopping,carregando suas compras enqto as babás levam seus filhos. Sinceramente, não acho isso luxo nenhum, acho uma piada.

Acho que vcs estão cobertas de razão.

Bjs

Cris Gomes disse...

Olá Adriana...

Eu ainda não tenho filhos, estamos nos preparando para casar... Mas pretendemos ter filhos e tbm concordamos com vcs...
Ninguém melhor que nós mesmos para cuidar e educar nossos filhos...

Beijos e obrigada por todas as dicas que vcs, as vezes sem perceber, passam pelo blog...

Sra Cy disse...

Oi Dri.

Posso te dizer q tb tomei a mesma decisão q vc. E olha q aqui em casa é dose dupla, e ainda tenho a Evento Atual pra cuidar. Mas ainda assim dou conta das 3 coisas.
Os nenecos fizeram 1 ano mês passado. Aí coloquei uma babá 2 dias na semana pra ter tempo de ir ao salão fazer uma unha, fazer uma feira, fazer compras....essas coisas q a gente precisa. (quem é dona de casa e mãe de família sabe bem o q to falando). Antes tinha minha mãe pra me ajudar, mas achava q estava "exigindo" muito dela. Ela queria viajar, fazer as coisas dela e deixava tudo por conta dos nenecos. Qd coloquei a babá, minha mãe chorou muito achando q não era mais útil. Mas eu tb não concordava dela deixar as coisas dela pra ficar com meus filhos. Quem decidiu te-los foi eu...heheh
Não me arrependo um instante sequer de passar 25 horas com meus filhos, posso dizer q vejo eles crescendo e sei exatamente cada coisa q eles aprenderam. PQ ESTOU COM ELES O DIA INTEIRO....final de semana Julio tb assume bem o lado de pai e me ajuda muuuuuuuuuito.NÃO tenho do q reclamar.
Creche mesmo a partir de janeiro de 2010...aí eu quero ver como vou sofrer...rs...pq ja me acostumei q passar o dia com eles.

Bjs

Renata Rainho disse...

Dri pra mim vc está certíssima!

Meu sobrinho falava errado como as empregadas, era pra morrer. Poxa a mãe e o pai estudam, trabalham e o filho fala tudo errado...

Agora aqui em São Paulo já tem vários berçários que funcionam até 20h, ótimo pra quem trabalha e não tem horário muito flexível. Quando estiver tudo bem vc deixa no berçário, se a criança estiver com algum problema socorre com os avós.

E problemas da casa contrata empregadas mesmo.

É melhor ter passadeira rodando na casa que babá.

Dramim é pouco amiga, minha irmã é médica.
Os médicos costumam alertar bem as mães sobre o uso de uma média diária de 8 fraldas, crianças com babás usam metade disto, 3 ou 4.

bj

Vanessa disse...

Dri, este assunto é ótimo! Coloquei meus filhos, os 3, cada um na sua época, numa creche muito boa, muito boa mesmo. Paguei mais caro, com certeza, mas pelo menos tinha certeza que eles estavam sendo bem cuidados e que as professoras eram profissionais qualificadas e estimuladas a estar sempre estudando, não me arrependo! Eles são crianças espertas, saudáveis e felizes! Acredita que meu filho mais velho nunca havia ouvido falar em babá até os 8 anos? Só descobriu o que era quando um amiguinho perguntou a ele quem era sua babá, ele não soube responder e perguntou para mim o que era. Eu disse a ele: meu bem, você não tem babá, você tem a Mamãe para cuidar de você!

Beijos

Virgínia disse...

Eu jamais deixaria um filho meu sozinho com uma Babá. Se os pais que são pais muitas horas perdem a paciência, imagine uma estranha!
Talvez teria uma se fosse o caso de voltar a trabalhar e não ter escolinha onde deixar (depende muito da cidade onde se mora) e tivesse que pedir o auxílio da vovó. Acho injusto deixar o filho com ela e tirar o tempo dela. Deixaria a babá sob a supervisão da avó, até chegar a idade que pudesse colocar na escola.

Aqui no NE é muito mais comum ter babá do que por aí. Eles "pegam" as mocinhas do interior. Mas em pouco tempo é muita baderna e pouca supervisão. Vejo bem isso aqui no prédio. Sem contar esse negócio de babá no fim de semana. Onde já se viu isso??? No clube elas vão e são obrigadas a entrar na piscina de roupa pelas patroas. Numa vi coisa tão constrangedora. Sem contar quantas vezes vi elas ficarem sem comer no restaurante.

Para mim não dá. Ficar com uma pessoa na sua cola e ainda por cima com o risco de judiar do seu filho...

disse...

Adriana, concordo com você em gênero, número e grau!
Ainda não tenho filhos, mas com certeza meu posicionamento é igual ao seu.
Beijos!

Flavia Bernardo disse...

Adriana,
Seja bem vindo ao meu blog!
Já leio o seu há um tempinho...conheci através do blog da Cata, que descobri pelo da minha irmã...e por aí vai.
Mas quase não comento. Vou passar a comentar mais.

Vou linkar seu blog no meu, ok?
Bjs grandes.
Flavia.

Aline disse...

Dri, tem selinho para vc lá no meu blog! bjs

Confeiteira Sonhadora disse...

Dri...concordo com a sua posição. Se eu puder também adotarei esta postura. Fico horrorizada com essa noticias sobre babás que vemos por aí. Não que não hajam profissionais sérias e que vão cuidar bem dos nossos filhos, pois existem, mas que existem pessoas muito más existem também e eu não quero arriscar sabem quem é bom ou quem é mal com os meus filhos. Também acho legal colocar na escolhinha/creche no tempo adequado para desenvolver a criança.
Sou da mesma postura que você nesse sentido.


Outra coisa que estou para te perguntar faz tempo..... quanto você pagou no bolo do aniversário da Bibi???? Estou querendo ter uma noção de valores aí da zona sul. se não for problema para você me informar claro. Pode mandar para o meu e-mail se preferir.

Mesmo não comentando sempre como fazia antes passo sempre aki e me atualizo sobre as novidades. Beijocas viu....

Deixa meu micro ficar pronto que volto a fazer minhas visitar diárias.

Grazi disse...

Oi, Adriana...tudo bem ?
acompanho seu blog desde o periodo dos preparativos do meu casamento..Foi de grande ajuda, viu ???
Quero te dar parabéns pela "Bibi"...ela é simplesmente linda!
Parabéns pela família...
beijocas
Grazi

Sra Cy disse...

Esqueci de comentar uma coisa...com a babá 2 dias na semana a coisa aqui tem q ser bem certinha, afinal qd saio não tenho hora pra voltar...então posso pegar tudo de surpresa...heheh...e ela nem a besta de fazer caca né!!! (posso demorar 3 horas como posso demorar 30 minutos)
No 1º dia a Catharina chorou muito estranhando a babá. Os vizinhos no dia seguinte vieram me contar, achando estranho pq ela não chora. Mas eu estava em casa pq não saí durante uns 4 dias de experiência dela....então eu sabia o q estava acontecendo. Portanto se eu não vejo tenho muuuuuitos olhos aqui no conomínio q veem pra mim!!!
.
Tem dias q eu saio, tem dias q fico em casa com ela e os nenecos. Não posso reclamar pq tudo tem funcionado muito bem. Eu acompanho o crescimento deles e ainda me sobra tempo de me cuidar!!!

Paty e Xandy disse...

Dri
faz um tempão q não entrava no seu blog. lembro dele desde o ano passado,q do " nos conhecemos" e qdo eu começava apreparar as coisas para o casório..e tá quase chegando! em setembro!
a Bia ta´linda demais, que Deus sempre esteja abençoando sua filhinha linda e td sua família!
qto às babás, já ouvi coisas horríveis, em cidades bem menores que o rio, onde muitos já se conhecem, e pedir referência fica bem mais fácil. E memso assim, são negligentes, fora os perigos que essas crianças correm. e isso infelismente é mais comum do ques e pensa! Por isso, qdo tiver meus babys, certeza q não vou deixar em creche. Já penso nisso desde hj, de modo a criar uma estrutura p isso. E tb não me conformo com mães q levam a sbabás aos passeios em família! Cadê a privacidade da família, a convivência com o filho, o olho no olho? Dez o seu texto! Bjão querida! Paty

anderson disse...

Oi Adriana,

Já acompanho seu Blog há algum tempo, acho suas postagens muito inteligentes, me emocionei muito com o nascimento de sua filha. Esse assunto especial me tocou pois sou pai de duas princesas que crio sozinho e fico impressionado como as pessoas ficam chocadas quando vc fala que não tem babá, como se fosse quase uma "tragédia", já vi mães chorarem na porta da escola das minhas filhas por estarem sem babás. Sempre respondo que não sinto a menor falta e a palavra chave é "ORGANIZAÇÃO". Claro que nem sempre tudo são flores e vc ás vezes é obrigado a abrir mão de alguns momentos pessoais por isso, mas com um pouco de bom senso e muito amor tudo acaba se encaixando perfeitamente. Tenho a vantagem de trabalhar em casa, oque facilita um pouco, mas, como vc, tb quase surto quando vejo essas reportagens de babás que maltratam as crianças, muitas vezes bebês indefesos, acho que não conseguiria manter a serenidade e a calma de ainda instalar uma câmera para comprovar se está ocorrendo agressão ou não, a simples desconfiança prá mim já geraria uma revolta incontrolável.
P A R A B É N S por sua decisão e continue assim, sendo uma mãe maravilhosa e principalmente muito sensata.
ABÇOS.

Adriana Mello disse...

Cy,
Acho que esse esquema funciona super bem. Tb já pensei em fazer isso. Contratar uma pessoa (de confiança, é claro) para ficar com ela uma vez na semana. Sempre sob supervisão na casa da minha mãe. Assim, eu acredito que funciona.

Virgínia,
Meu pai é cearense. Sei muito bem como é o esquema por aí. É uma criança tomando conta da outra.

Anderson,
Muito obrigada! Mas vc pelo jeito dever ser um super pai. Parabéns para vc tb!

Beijos a todos!

Milena disse...

Meninas,

Li e reli o post e os comentários aqui... Concordo e discordo de muita coisa, até porque ser radical em qualquer situação não é nada legal.
Da mesma forma que existem estórias terriveis de babas, existem estorias terriveis de creche, maternal.. Essa semana mesmo uma amiguinha da minha filha de 1 ano que estuda no Sara em Ipanema apareceu com o braço fraturado em 2 lugares e NINGUEM NO COLEGIO VIU!!! Qdo a mãe foi buscar a criança foi que a recepcionista avisou que menina estava com dor no braço e só! A mãe que levou a criança ao médico. Fora comida fora da validade e outras coisas.
Não trabalho fora tenha uma pessoa que me ajuda em casa durante a semana, faxineira, passdeira e a folguista no fim de semana. Sabe por que? Por que tb temos que dispensar tempo e investir nos nossos casamentos!!! Ter folguitsa não significa que não cuido da minha filha, que não converso com ela olho no olho, que não dou banho e etc.. Faço tudo isso e muita mais, qualidade é mais importante que quantidade, mas quando preciso dar um fugida pra namorar meu marido e eu não preciso depender de ninguem. E nem por isso saio só eu, meu marido e minha filha! Sempre saimos só nos 3 e a folguista fica em casa limpando o quartinho, lavando a roupinha e etc. É isso, tenho uma estrutura e não me arrependo dela, pois além de ser mãe, sou mulher e esposa. Pensem nisso, pq até os mais maridos compreensivos, um dia cobram isso de nós!
Bjs,
Milena

Adriana Mello disse...

Milena,

Eu respeito sua opinião. Não sou radical. Só acho que o que serve para um as vezes não serve para outro. Eu não tenho uma babá, e nem pretendo ter. Já minha irmã, tem uma babá maravilhosa. Mas para mim, não funciona, entende? E o meu marido tem a mesma posição que a minha. É óbvio que tb existem história horríveis de creche, mas assim mesmo, eu ainda tenho mais confiança do que em uma babá. Pode até ser trauma de infância meu, sei lá. Que bom que vc tem uma babá em quem vc confia. Já eu, adoro passar 25 horas por dia com a minha filha. Quando quero fazer uma coisa deixo ela com os meus pais e pronto. Mas é aquela história, para mim funciona assim. O que importa é cada um criar seus filhos da maneira em que acredita. Acho que toda mãe sabe o que é melhor para seus pequenos.

Beijos