quinta-feira, setembro 02, 2010

QUANDO EU ERA PEQUENA: FESTA DE ANIVERSÁRIO

Estou organizando a festa de dois anos da Beatriz e me chama a atenção como as festas infantis tornaram-se super produções. É apenas uma constatação e não uma crítica, até mesmo porque a festa desse ano da Bibi será assim. Observando tudo isso, lembrei-me das minhas próprias festas de aniversário. Tudo era tão diferente. Imagina se naquela época alguém ia sonhar com essa história de Casa de Festa. Nunca!!!!!!

As minhas festas de aniversário eram todas feitas no play ou no clube. Eu escolhia o tema que  quisesse e minha mãe corria atrás da decoração. E olha que eu era bem danada nessa história de tema. Teve uma vez que eu cismei em fazer a festa da Belle (namorada do Snoopy), e minha mãe penou para conseguir. Me recordo dela explicando para a mulher que ia fazer o bolo (que não tinha a menor idéia de quem era a Belle), de que a Belle nada mais era do que o Snoopy de vestido rosa e um laço na orelha. E querem saber? deu super certo! O bolo ficou lindo, e a minha festa da Belle foi um sucesso. Mas voltando a decoração, esqueçam as mesas mega produzida dos dias de hoje, tudo era muito mais simples e em proporções bem menores. O bolo era encomendado de acordo com o tema. Muitos dos doces eram feitos pela minha mãe, outros ela encomendava; ouriço, um doce em forma de morango, olho de sogra (nunca entendi o motivo de todo ano ela encomendar o olho de sogra, pois ninguém comia, sobrava quase tudo). Lembro perfeitamente da cena dela preparando os doces, daquele cheiro maravilhoso de brigadeiro tomando conta do apartamento,  depois enrolando todos eles e passando no granulado. E para encher os balões? Uma verdadeira novela!  Nós ficávamos horas e horas soprando e é claro que muitos desses balões estouravam na nossa cara. Depois de tudo cheio, era preciso pendurá-los. A comida era só o que a criançada gostava. Na hora do parabéns, todas as crianças ficavam em volta da mesa (com pratinhos e copos descartáveis com o tema da festa) , e colocavam aqueles chapeuzinhos clássicos. Ah! Tinha também a língua de sogra! Festa de aniversário sem língua de sogra, não era  festa de aniversário. São tantas recordações que poderia ficar horas e horas contando tudinho para vocês, mas não caberia nem em 100 posts, então é melhor parar por aqui.

É claro que as festas eram infinitamente mais simples que as de hoje, mas ao mesmo tempo, acho que eram bem mais bonitas e personalizadas. Lembro com muita saudade dessa época, mas as coisas mudam, evoluem e provavelmente quando eu contar para Beatriz como eram as minhas festinhas, ela também não vai gostar, vai achar tudo terrivelmente sem graça. Com certeza ela irá achar as delas bem mais legais. Mas querem saber? Se ela tiver recordações tão felizes como as minhas, tá valendo.



8 comentários:

Mariana Alcântara disse...

Adorei o post...

Bom lembrar de quando eramos crianças... era tão diferente... sem muita tecnologia...

E pensando na minha festa de 1 ano... o tema foi Moranguinho... com o kit decoração emprestado de um outro aniversário anterior ao meu... já o de 1 ano da minha irmã, foi uma super produção (para a época), com palhaço para distrair as crianças, buffet, decoração com tema de floresta... lindissimo...

Bons tempos aqueles...

Como já diz o ditado... "recordar é viver".

Beijos!

Mariana Alcântara

Renata Rainho disse...

Nossa como é bom ler algo de alguém na nossa idade rs

os chapeuzinhos eu nunca comprei pras minhas festas, mas minha mãe que fazia o bolo, os doces, tinha sanduíche de carne louca e um salgado que ela fazia com uma salsicha menor.

depois virou moda um treco que vc comprava o pão pullmam cortado ao contrário na padaria e passava patê e sei lá o que e virava um bolo salgado.

minha mãe fazia gelatina em copinhos de café e colocava uma velinha, todo mundo da festa tinha vela pra apagar.

minha mãe que fazia os bolos e decorava, ela tem mó jeito até hj, temos fôrma em forma de coelho. mas ela pegava umas redondas e fazia palhaço com direito a chapéu e tudo. comprava confeitos coloridos pra deixar tudo direitinho.

lembro quando eu tinha 9 anos que surgiu uma bomba pra encher bexigas mas era mega sem graça rs

bjoka

Kátia disse...

Adorei o post. Realmente na nossa época era bem mais divertido. Acho que hoje em dia tem tanta coisa em festa de criança que na realidade elas mal aproveitam.
Quando eu era pequena, era minha mãe quem fazia o bolo, também comprava os pratinhos, copinhos e chapéuzinhos descartáveis do tema da festa.
Sempre morei em casa, então geralmente era na sala de jantar que ficavam os comes e bebes e na garagem que rolava a farra mesmo. rs
Lembro de quando minha mãe enrolava os brigadeiros, e sempre ficávamos cutucando com o dedo. huaha
Encher as bexigas realmente eram novelas intermináveis, e depois ficávamos com aquele gosto terrível de borracha na boca. hahaha
Lembro também dos balões enormes cheios de balas, doces e brinquedinhos que minha mãe colocava em algum lugar super alto, reunia a criançada embaixo do balão e estourava, era doce e brinquedo pra todo lado. hauhauha

As festas na nossa época eram definitivamente divertidas. Boas recordações!!

Beijoo!

Carolina disse...

Que post mais lindo! Impossível não fazer uma viagem no tempo.

Adriana Mello disse...

Mariana,
A Moranguinho é um clássico, né? Nunca sai de moda. Hoje mesmo, fui cortar o cabelo e a cabeleireira me contou que a festinha de 1 ano da filha será da moranguinho.

Rê,

É verdade depois sugiu a bomba. Mas nao dava tanto ibope.

Katia,
Vc lembrou de um detalhe que eu tinha esquecido, o gosto que os balões deixavam na boca era uó!

Beijos

Ministério da saúde disse...

Olá!

Você sabia que a Doença Falciforme é uma doença hereditária e que foi diagnosticada pela primeira vez há 100 anos? A anemia crônica e crises dolorosas em ossos, músculos e articulações podem ser um sinal da existência dessa doença, diagnosticada pelo Teste do Pezinho ou por exames de sangue. A descoberta do diagnóstico da Doença Falciforme começou há um século. A sua pode começar agora. Saiba mais em: http://bit.ly/9CJMlV

Para mais informações:
comunicacao@saude.gov.br
www.formspring.me/minsaude

Bel disse...

Rindo muito com a história da Belle. Só de curiosidade: como ficou a questão do copos e prato? Sua mãe conseguiu encontrar? Eu sou que nem a mulher do bolo, nunca ouvi falar da Belle.

Adriana Mello disse...

Bel,
Aí, vc já ta querendo de mais, né? Os pratos e copos foram todos do Snoopy mesmo.